Nem todas as casas têm uma sala de jantar autónoma, mas há 5 coisas a ter em consideração em qualquer zona de refeições: o espaço disponível, o tipo de mesa, o tipo de cadeiras, a iluminação e a arrumação.

Conseguir uma harmonia perfeita entre estes elementos é fundamental para ter uma zona de refeições confortável e funcional.

1. Espaço disponível

Se existe uma sala de jantar independente, o espaço encontra-se desde logo delimitado e é com ele que temos de jogar na hora de o mobilar e decorar.

Se pelo contrário não é uma divisão autónoma, há que distinguir de alguma forma os ambientes, para que o espaço de refeições seja confortável e não se confunda com a zona de lazer. Há várias formas de delimitar os espaços, dependendo do layout disponível: pintar uma parede, um tapete de uma cor distintiva, uma estante como divisória, são algumas das ideias.

Em qualquer das situações, haverá sempre que salvaguardar o espaço de circulação para que fique uma zona funcional: a distância mínima para circulação é de 90 cm e a ideal é de 120 cm.

2. A mesa

A escolha da mesa certa para a sala de jantar ou zona de refeições tem primeiramente que ter em linha de conta o já referido espaço de circulação e a coexistência (ou não) com outros móveis de grandes dimensões, como um aparador, um louceiro ou uma cristaleira.

O tamanho da mesa a escolher deve ter as dimensões certas para que as pessoas estejam confortáveis à mesa e circulem facilmente à sua volta.

Por outro lado, a estética da mesa de jantar deve ter também em consideração não só o gosto pessoal, mas ainda o equilíbrio visual com os restantes elementos do espaço: linhas mais leves caso exista um móvel grande e pesado de arrumação, por exemplo.

Optar por uma mesa extensível pode ser uma boa opção para espaços mais confinados ou para zonas de refeições comuns à sala de estar, por forma a que não ocupem muito espaço no dia a dia, mas permitam receber mais convidados em dia de festa.

3. As cadeiras

O aspecto estético é das primeira preocupações de quem procura uma cadeira, descurando-se muitas vezes o elemento conforto.

Cadeiras desconfortáveis podem ser motivo suficiente para tornar um jantar menos simpático!

Há vários tipos de cadeiras: com estofo, sem estofo, metalizadas, de madeira, com braços e sem. Veja a que melhor se adequa ao seu espaço em termos estéticos e em conforto.

Uma alternativa para espaços mais apertados é optar por um banco corrido numa das laterais da mesa (com encosto à parede).

Para assentos adicionais, opte por bancos ou cadeiras empilháveis que se arrumem facilmente.

4. A iluminação

A iluminação deve ser minuciosamente estudada para que a sala de refeições seja um espaço apetecível: não vai querer comer “às escuras”, nem com uma luz demasiado forte e/ou branca, que retira conforto ao espaço.

Conjugue iluminação indireta com iluminação direta para evitar sombras e criar um ambiente ideal.

5. Arrumação

Dependendo do espaço disponível, pode ser mais ou menos fundamental incluir na sala de jantar um aparador, um louceiro ou uma cristaleira para arrumação de pratos, copos, jarros, travessas e louça de servir, talheres, toalhas de mesa e guardanapos.

Estas peças ocupam normalmente muito espaço, mas para além da função que lhes é inerente (arrumação) podem servir de móvel de apoio às refeições para pousar bebidas, as sobremesas, utensílios adicionais…

Opte pelo móvel que melhor se adequa às suas necessidades. Se tem uma grande coleção de copos, talvez uma vitrina ou cristaleira sejam o ideal para a sua arrumação. Se tem mais pratos e travessas, um aparador com duas ou três gavetas para os talheres é a solução.

Dica: pode restaurar um móvel antigo e adaptá-lo às suas necessidades.