Sharing is caring!

Vim de uma curta semana de férias por terras Algarvias com vontade de falar sobre um tema actual e comum a muitos casais, famílias e grupos de amigos: alojamento local!

É cada vez mais frequente, e para algumas pessoas é mesmo a regra, optarmos por ficar em apartamentos ou casas em pequenas escapadelas ou em viagens maiores.

As vantagens são muitas e as desvantagens algumas, dependendo do contexto em que viajamos, do que procuramos para as nossas férias, das opções existentes no nosso destino.

No alojamento local, como em hotéis, há uma ansiedade no dia em que chegamos e confirmamos (ou não) que tudo o que vimos em fotografias e informações é verdadeiro, se corresponde às nossas expectativas ou as supera: se vamos passar umas boas férias!

Já tive um pouco de todo o tipo de experiências, felizmente nenhuma assim tão má, mas já sei exactamente o que é que “exijo” nas casas para onde vou e o que é que considero ser um “plus” que torna a nossa estadia ainda melhor.

Partilhando um pouco a minha experiência, e vindo de uma semana fantástica, resolvi fazer este levantamento, útil para quem procura uma casa para as próximas férias ou para quem tem um imóvel em alojamento local:

  • 1.º: LIMPEZA! Por favor…não é preciso entrar em detalhes, mas não há nada que me desconcerte mais que encontrar vestígios de outrem na casa de banho, no quarto, na cozinha… (este é um ponto que verifico sempre nos comentários ao imóvel, mas às vezes há surpresas).
  • 2.º: HONESTIDADE, acima de tudo. Se diz que é no centro da cidade, que não se demore 45 min em autoestrada até chegar à avenida principal; se diz que tem 3 quartos, que sejam mesmo 3 e não 2 e um sofá cama na sala com um biombo ao lado. Há coisas que dá para perceber nas críticas das plataformas onde o imóvel está anunciado, outras não. Mas leiam minuciosamente toda a informação que é apresentada e façam zoooooooooommm às imagens. Na dúvida, não custa perguntar.
  • 3.º: EQUIPAMENTOS, lato sensu. Este é um ponto que me tem desiludido algumas vezes. Casas para 8 pessoas com 6 pratos, 4 copos (porque os outros foram partidos por hóspedes anteriores) e 6 facas, 6 colheres e 6 garfos. Há colheres de sobremesa, mas de café já não… Normalmente estas casas têm muito poucos utensílios na cozinha ou muitos mas muito velhos. Uma das razões para as pessoas optarem por ficar em alojamento local é para se sentirem em casa, não é para sobreviverem com menos que o mínimo essencial… Este é um ponto difícil de antecipar para quem viaja, mas fica o apelo aos proprietários!
  • 4.º: DECOR, claro. Casas com carácter. Não vou discutir estilos, porque há muitos e gostos para tudo, há culturas e contextos económicos, mas há uma preocupação que todos os proprietários deviam ter: não fazer do alojamento local um depósito de coisas de que já não gostam ou já não usam (um pouco mais sobre este tema, aqui). Convém demonstrar algum intuito decorativo, pelo menos. No pólo oposto, também não gosto de casas que parecem ter a linha inteira de móveis de uma loja e que não estão minimamente personalizadas. É importante uma pessoa sentir a cultura do sítio onde está (não necessariamente com artesanato!), a personalidade de quem nos recebe. Os pormenores e detalhes de decoração tornam a casa confortável e são também uma experiência em si.
  • 5.º: CONFORTO é fundamental. Ficar em alojamento local normalmente pressupõe que as pessoas fiquem mais tempo em casa do que ficariam no quarto de hotel (porque fazem refeições em casa ou porque a casa tem piscina e é Verão, por exemplo). Há várias maneiras de tornar uma casa desconfortável e são normalmente o reflexo dos pontos anteriores: falta de limpeza, poucos equipamentos, demasiada lotação para o espaço existente, decoração e ambiente pouco convidativos.

 

Já a pensar nas próximas férias, deixo-vos com algumas imagens do Sítio da Fábrica, onde passei a última semana e para onde voltaria a correr!

 

 

 

 

 

 

 

 O que é que valorizou mais nas casas onde ficou??

Boas férias!

[MB]