Homy at Home: a criatividade em quarentena

Sharing is caring!

Homy at Home

Como tudo começou…

Um dia veio um dia que nos virou a vida do avesso. Um vírus quase invisível foi crescendo e crescendo, ganhando cada vez mais espaço, até que devagarinho o ocupou quase todo.

De tal maneira que ocupava todas as ruas, todas as praças, todos os becos, tanto que ninguém mais aí cabia e todos tiveram de recolher a casa.

Os portugueses desde logo trataram de arranjar formas de se irem mantendo ocupados. Entre concertos, workshops, aulas de dança e de yoga, diretos e um outro sem número de atividades, havia de tudo para todos os gostos.

Para muita gente estes foram finalmente os dias que deixaram de deixar para amanhã aquele projeto de aprender uma arte nova. De uma forma ou outra quase toda a gente, seja por sanidade mental, opção ou obrigação, se foi mantendo ocupada.

Para muitos este foi também um período de criatividade. Numa altura em que a maioria se via durante quase todo o dia confinado a quatro paredes decidiram dar asas à imaginação e deixar que esta fosse onde fisicamente não podiam ir.

As peças que se seguem são um exemplo de que esta fase, apesar do confinamento, não foi de estagnação.

São peças únicas, feitas por gente diferente e com gostos próprios.

Apesar da dificuldade em desenhar uma linha comum entre todas estas peças, foram idealizadas ou produzidas durante o período de quarentena, quase como uma espécie de afirmação que, mesmo em alturas que não são as ideais, é possível desenvolver algo de único e original.

A peça de… 2for1design (Maria Matos)

As flores da 2for1design sempre tiveram um cheirinho a novidade!

Com a quarentena, o acesso a flores importadas começou a ser muito dificultado, e a Maria viu-se obrigada a voltar às origens, às flores locais que vemos nas floristas tradicionais.

Um desafio enorme para uma marca com uma personalidade já tão vincada…

A verdade é que a criatividade supera sempre a dificuldade e a Maria conseguiu dar o seu cunho campestre com um twist às tradicionais flores portuguesas. Procurou pequenos produtores locais e voltou a encantar-se pelo que é nosso.

Deixe-se encantar também e alegre a sua casa com este bouquet que é um elogio à nossa terra e aos pequenos produtores locais!

A peça de… Daiena Dâmaso

No confinamento, o desafio que vivemos é recriar quem somos através do que fazemos, e isso permite-nos abrir as janelas aos nossos sonhos e deixar que floresçam nesta nova primavera.

É isso que pretendo enfatizar neste desenho: retrato um prédio dos subúrbios, quadrado e sem graça, que faz parte da minha infância e adolescência, onde as pessoas não se vêem mas todas as plantas crescem e florescem.

Que sonhos floriram esta quarentena?

A peça de… Marta Simões

“Uma flor por dia a partir de hoje. Para dar cor aos nossos dias e termos um jardim quando tudo isto passar.” Este foi o meu ponto de partida. Sou uma pessoa muito positiva e acredito que a Arte muda a vida das pessoas.

Desenhar uma flor por dia foi a minha maneira de transmitir uma mensagem de Esperança e fazer a diferença. É um tema longe de doenças e da quarentena por isso tentei dar cor aos dias das pessoas e espalhar uma mensagem positiva durante esta pandemia.

Em resposta a este desafio decidi utilizar a minha primeira flor e criar uma composição que representasse o meu projecto mostrando uma pequena parte do “nosso” jardim.

A peça de… Z.E.C.S.

Com suas colagens na coleção Homy at Home, Z.E.C.S. propõe-nos uma viagem pelas várias fases, sentimentos e emoções que vivemos durante o período de confinamento:

A“Quarantine 1” ilustra o início da quarentena. A materialidade e dureza do betão remetem para a nova realidade e reforça a ideia de confinamento.

A “Quarantine 2” ilustra o desenrolar da quarentena. A textura do betão reforça a ideia de confinamento, e mostra ao longe a fantasia de voltar ao exterior.

Por fim, a “Quarantine 3” retrata a nova realidade do período pós-quarentena. A piscina dividida, de corredores individuais, e a textura do betão como memória presente do tempo de confinamento.

Identifica-se?

A peça de… Rita Sevilha

A tapeçaria “Natural Landscape” faz parte de uma coleção a que dei o nome de “Nature Colletion”, que tem vindo a nascer inspirada na “vida lá fora” e que tem como objectivo levar para dentro de casa casa um pouco do exterior, da Natureza e dos momentos passados em liberdade.

Nesse sentido, foi tecida em materiais naturais, com uma paleta neutra, contudo com alguns rasgos de cor e com um desenho orgânico. Para mim fazia todo o sentido fazer parte desta coleção da quarentena, uma vez que nasceu nessa altura e procura levar para dentro de casa esse lado exterior e de contacto com a Natureza que está neste momento mais condicionado.

O que nos diz desta peça linda?

A peça de… Tex MB (Marta Barros)

O arco-íris foi, sem dúvida, o símbolo desta quarentena. E para a Marta foi também um elemento muito especial.

Foi a partir de um arco-íris muito especial que conseguiu ajudar uma associação que muito lhe diz neste período de quarentena.

Agora, nesta coleção Homy at Home, disponibilizou uma versão mais simples que todos possamos ter em nossas casas este símbolo de esperança que nos acompanhou nestes tempos.

Já tem o seu?

A peça de… This Must Be The Place Studio

Teletrabalho, teleescola, cozinhados, conferências de imprensa, filhos, gritos, birras, pão em casa, mais birras, stress, incerteza. Tudo o que a quarentena nos trouxe e mais que houvesse!

Quer um bom resumo de todas essas emoções? Estas 2 ilustrações que a This Must Be The Place Studio preparou para a Homy at Home.

Trabalhar durante a quarentena é um desafio feito de listas sem fim, uma nuvem emaranhada de pensamentos, uma montanha russa de ideias e sentimentos.

Enquanto esperamos pela vida que vem a seguir, fazemos uma pausa e devoramos despensas, adiando a dieta de amanhã.

Com qual se identifica mais?

Ainda não conhece a buyhomy? Descubra tudo no nosso blog.