Sharing is caring!

Maria Montessori (1870-1952) desdobrou-se em muitos papéis: foi educadora, médica, católica, pedagoga e se calhar foi com a junção de todos estes papéis que se criou uma pessoa extraordinária.

Destacou-se no seu papel de pedagoga e ensinou sobre o princípio da auto-educação (interferência mínima dos professores), defendendo que a aprendizagem teria como base o espaço escolar e o material didático.

A vida e história de Maria Montessori seria matéria para encher livros e livros, hoje iremos focar o post no seu mais famoso método: o método Montessori. Há mais de 20.000 escolas cuja linha de orientação pedagógica é inteiramente através do seu método.

O método Montessori é um conjunto de teorias e métodos de pedagogia que leva a que a educação se desenvolva com base na evolução da criança, e não o contrário. De que forma podemos aplicar os princípios Montessori à organização e decoração do quarto dos nossos filhos? Comecemos pelo início…

10 princípios e conceitos do método Montessori:

1. Ordem

Os ambientes devem ser arrumados e organizados. Só assim se cria um estimulo para explorar e aprender novas coisas. Uma boa ideia é arrumar por categorias em cestos ou caixas: a caixa com os carrinhos, a caixa com os legos, a caixa dos desenhos, … depois de utilizar os materiais, a criança deve ser incentivada a arrumar e a organizar o espaço.

Dica: Tenha brinquedos e materiais adequados à idade do seu filho. Ter brinquedos a mais e desadequados à idade só vai criar confusão e desorganização. Aproveite e dê os brinquedos que já não são adequados a uma instituição que precise deles.

Fotografia: Pinterest

2. Liberdade

Maria Montessori percebeu que as crianças ficam muito mais motivadas quando se dedicam a realizar uma tarefa que foi escolhida por elas e não foi imposta.

Conforme o que a criança escolher brincar, aproveite para orientar a aprendizagem que ela pode ter com aquela actividade.

3. Movimento

As crianças precisam de se dedicar a atividades que exigem o uso e o movimento das mãos – empilhar cubos, fazer puzzles, desenhar… Estas são algumas atividades em que a criança está a aprender a importância da concentração e da coordenação.

4. Ambiente

Os ambientes das crianças devem ser estimulantes, seguros, que despertem curiosidade e que as faça querer interagir, mesmo que seja interagir com objectos do dia-a-dia e mais banais (são só os nossos filhos que adoram comandos e carteiras?). Explorar em segurança objectos do dia-a-dia, fá-los adquirir novos conhecimentos e descobrir mais sobre o mundo.

Fotografia: Pinterest

5. Recompensas

No método Montessori não existe o conceito de recompensas. O melhor prémio/incentivo que a criança pode receber é aprender uma coisa nova sozinha, graças à sua resiliência e força de vontade. Deixe o seu filho aprender por tentativa e erro. É importante as crianças perceberem que nem sempre se acerta à primeira.

6. Atividades práticas

As atividades práticas ajudam a criança a estimular todos os sentidos de forma integrada e assim ter experiências que levem a conceitos como: independência, concentração, organização ou lógica.

Não tenha medo de incentivar o seu filho em casa a desempenhar pequenas tarefas de acordo com a sua idade e competência. É um óptimo método de aprendizagem, ensina conceitos importantes e as crianças adoram fazer parte da dinâmica do dia-a-dia em casa.

Tarefas por idades – Tabela segundo o método Montessori

7. Idades

Maria Montessori acreditava na formação de grupos de crianças de diferentes idades como estímulo à aprendizagem, por haver alunos com diferentes habilidades e interesses.

Os alunos mais interessados conseguem adquirir níveis superiores do conhecimento ao conviver com crianças mais velhas. Assim, cada criança progride de acordo com o seu próprio ritmo, sem pressão para ter os mesmos conhecimentos que crianças da mesma idade.

8. O aprender, fazendo

Maria Montessori defendia a máxima: “Não faças as coisas por mim, ensina-me a fazê-las sozinho!”. As crianças têm mais facilidade em aprender com exemplos práticos e concretos e desta forma, vão lembrar-se melhor do que aprenderam. Experienciar  e praticar é muito mais eficaz que ouvir apenas a teoria.

9. O papel do professor e do educador

As crianças podem trabalhar ao seu ritmo mas não estão sozinhas. O educador ou o professor deve estar presente para auxiliar o processo de aprendizagem. Deixe o seu filho fazer a actividade sozinho, deixe-o falhar, vá ajudando e vai ver o gratificante que é ele sentir que conseguiu cumprir o seu desafio pessoal.

Fonte: www.simplynaturalmom.com

 

10. Independência, responsabilidade e auto-disciplina

O Método Montessori encoraja as crianças a serem independentes, autónomas para desenvolverem a auto-confiança e auto-estima. Deixe-a ser autónoma e explorar a sua criatividade. Só assim vai perceber o que é que o seu filho mais gosta e de que forma o seu potencial pode ser explorado.

Fonte: www.becomingpeculiar.com

Fotografia: Pinterest

 

Agora que já sabe todos os conceitos base, deixamos algumas sugestões para a melhor forma de organizar o quarto do seu filho usando as bases do método Montessori:

  • Escolha dos brinquedos: menos é mais. Se a criança tiver menos brinquedos, escolherá com facilidade o que quer brincar. Se a criança tiver muitos brinquedos, tenderá a não valorizar nenhum e a não escolher os que mais gosta.
  • Organize-os por categorias;

    Fotografia: Pinterest

     

  • Proporção: tenha os objectos do quarto da criança com proporção ao tamanho dela (brinquedos arrumados com acesso à criança, uma mesa e uma cadeira pequena). Desta forma poderá pegar num brinquedo que queira, sentar-se numa cadeira e brincar – estimulando a criatividade e trabalhando a independência;

    Fotografia: Pinterest

     

  • Minimalismo: tenha o essencial. Não exagere na decoração nem nos brinquedos. Todo o espaço deve ser apropriado para a criança brincar com segurança e independência;
  • Deixe a decoração e os móveis a um nível que a criança possa ver, explorar e criar independência. O exemplo mais conhecido no método Montessori é a cama no chão (com prós e contras e matéria para um novo post para breve).

    Fotografia: Pinterest

    Fotografia: Pinterest

     

  • Junte um espelho ao quarto: é importante o auto reconhecimento desde pequenos;
  • Use tapetes e texturas para um maior estímulo; – especialmente importante quando os bebés começam a gatinhar;

    Fotografia: Pinterest

Veja também:

A CASA E AS CRIANÇAS: DICAS DA KIKI DA FAMÍLIA 3 E 1/2;

QUARTOS DE CRIANÇA: O ESPAÇO DE BRINCAR E APRENDER;

INSPIRAÇÃO: PAREDES DE QUARTOS DE CRIANÇAS

O QUE (REALMENTE) PRECISA PARA O QUARTO DE BEBÉ?