Sharing is caring!

É preciso alguma coragem para pintar uma parede e mais ainda uma divisão inteira. É uma decisão que, não sendo definitiva, é duradoura e dá algum trabalho a executar, por isso deixa de ser uma opção para muita gente.

A verdade é que pintar as paredes pode ser o pormenor decorativo que falta à sua casa para dar aquele toque especial e “profissional” à decoração.

Estamos nesta casa há cerca de 3 anos e o nosso quarto foi talvez a divisão que menos atenção mereceu da nossa parte. Primeiro, porque ficou logo completo com as coisas que já tínhamos: cama, cómoda, mesas de cabeceira, candeeiros… e houve outras divisões da casa a que nos dedicámos. E depois porque, durante alguns meses, tivemos uma nova inquilina no quarto e tivemos de incluir um berço e outros acessórios de bebé. Nesta altura, a palavra de ordem foi a funcionalidade e o aproveitamento do espaço, mais do que a decoração propriamente dita.

A nossa cama é um sommier com arrumação (muito útil! que não trocava por nada), mas sem cabeceira de cama, que não considero essencial, mas é evidente que dá conforto e ajuda a compor o quarto.

Comecei por fazer uns almofadões que, sem sair dos tons claros (tinha tudo em branco e madeiras), deu alguma cor e vida ao quarto.

Depois vi esta imagem no Pinterest:

Pintar uma parte da parede a fazer de lambrim pareceu-nos uma forma perfeita de colmatar a ausência de cabeceira de cama e tornar o quarto um pouco mais acolhedor.

Nunca pintámos nenhuma parede cá de casa porque temos as paredes todas com tinta de areia (drama!) e o efeito fica um pouco diferente… (um dia – quando pudermos – tratamos deste tema! byebye tinta de areia).

Fazer um friso liso ia ficar esquisito e a risca nunca ficaria com um acabado direito por causa do enrugado da parede. Mas esta solução com ar inacabado é perfeita para isso! E decidimos avançar.

A escolha da cor foi o mais dificil. Queríamos uma cor que não cansasse muito, que desse para conjugar facilmente com outros tons suaves ou até com outras cores mais fortes.

Inicialmente pensámos num tom cinza-pedra, mas tivemos algum receio que não fizesse contraste suficiente ou que o tom não ficasse bem com as almofadas. Acabámos por optar por um azul acinzentado, bonito e calmo, mas ao mesmo tempo irreverente. A cor escolhida foi o Azul Báltico n.º 5 da Luxens.

Marcámos uma risca na parede pela altura que queríamos, protegemos o chão e o rodapé e pusemos mãos à obra.

Bastou um dia (para dar duas de mão e deixar secar bem – estava a chover e muita humidade), 1l de tinta, um rolo e uma trincha (para os pormenores à volta das tomadas).

Não usámos uma esponja para fazer o acabamento porque na altura não tínhamos nenhuma e improvisámos com o rolo, fazendo passagens irregulares.

 

Gostámos imenso do resultado! É impressionante como uma solução tão simples, tão fácil de executar (nem uma linha direitinha é preciso fazer! ideal para mim!) e tão económica (menos de 20€) fizemos uma alteração tão significativa na decoração do nosso quarto!

Fiquei com vontade de fazer pinturas diferentes em tudo o que é parede cá de casa, mas tenho de acalmar os ânimos para não cair em exagero! Há muitas formas de wallart que temos ainda para testar!

De qualquer forma, ficam aqui outras imagens que vos poderão servir de inspiração, como aquela que vimos e mudou radicalmente o nosso quarto!

Esta foi a primeira alteração que fizemos na decoração do nosso quarto. Estamos a pensar noutras, que vos vamos trazendo aqui (com mais fotografias, e melhores).

Mostre-nos as suas paredes e modificações mais arrojadas no nosso Instagram com o #acasadahomy e identificando-nos nas vossas publicações, e no nosso Grupo de Facebook H’Oficina (já se juntou a nós?)!

Espero que tenham gostado desta pequena grande transformação e “ganhem coragem” para os vossos projectos de decoração!

Margarida B.