Sharing is caring!

Por esta altura, já está tudo (ou quase tudo) em saldos!

Se o ano novo já traz aquele sentimento de mudança, aquela vontade de ‘dar uma volta’ às coisas, de organizar, de arrumar, de pôr novo… os saldos só vêm ajudar à festa!

Há muitas coisas com preços bastante atractivos e por isso esta época é normalmente uma boa oportunidade para comprar algumas peças de decoração.

Mas é importante não perder o foco. Não comprar ao desbarato. Não comprar coisas desnecessárias ou ‘não tão giras’…

Preparámos um ‘Guia de Sobrevivência’ para a época de saldos! Se seguir estas dicas, vai usufruir de uma forma mais plena das oportunidades que lhe surjam e conseguir uma casa mais completa!

  1. Começar pelas lojas (físicas ou online) com peças mais ‘especiais’: há lojas onde (felizmente) podemos encontrar coisas a preços mais ou menos acessíveis ao longo de todo o ano. Esta é a altura onde a opção por peças um bocadinho mais caras custa menos. É aqui que está a verdadeira oportunidade!
  2. Menos peças, mais qualidade: saldos não é sinónimo de exagero, nem de supérfluo. É a oportunidade de comprar aquela peça que andamos a namorar há tanto tempo; aquela peça de melhor qualidade, aquela obra de arte. Ainda que oinvestimento seja maior, o retorno é infinitamente melhor!
  3. Planeamento: não raras vezes, nem sabemos bem o que temos em casa. Não corra a comprar mais uma travessa (só porque custa 5€) quando tem mil empilhadas no louceiro e mais umas quantas espalhadas pelos armários da cozinha. Veja o que realmente faz falta em casa, pesquise previamente na internet (nesta época é particularmente difícil manter o stock em loja) e compre o que realmente faz sentido.
  4. Garantir que as compras que fazemos fazem sentido na nossa casa e na nossa vida: não faz sentido poupar numa peça, se isso nos obriga a mudar a decoração de uma divisão inteira, se não temos espaço para a colocar ou arrumar, se a peça não nos diz nada de especial, mas até estava com um bom preço… estas peças de impulso são peças que rapidamente se tornam um estorvo e tornam as nossas casas pouco convidativas.
  5. Namore as peças e confira os preços: certifique-se do que tem em vista quanto a medidas, materiais, cores, acabamentos… o preço é só o custo da peça. De nada lhe vai servir uma cómoda que fica demasiado apertada naquele espaço ou que afinal tem pouca arrumação. Confirme os preços e as várias opções dentro do orçamento disponível, já que muitas vezes a diferença de preço em saldos não justifica a compra de uma determinada peça, se a que realmente lhe enchia as medidas era outra.

Boas compras!